star-header-small-book Esferas armilares atlas-x164 sphere-x164 Mitos e lendas sobre as Plêiades As Sete Irmãs na astronomia cluster-x164

As irmãs e grande elenco – Anagramas e alusões

A série “As Sete Irmãs” é inspirada nas histórias e mitos antigos relacionados às Sete Irmãs da famosa aglomeração de estrelas chamada Plêiades. Embora não seja preciso saber nada sobre estrelas ou mitos para apreciar os livros, existem várias referências ocultas para quem estiver interessado e souber onde procurar.

 

Anagramas e nomes de personagens

 

Muitos dos personagens dos livros estão ligados à história das Sete Irmãs conforme contada na mitologia grega, seja por meio de nomes, atributos físicos, do papel que desempenham na trama ou de sua personalidade.

 

Pouco depois de ter a inspiração para escrever uma série de livros baseada no aglomerado de estrelas das Sete Irmãs, sentei-me certa noite com a minha família. Já sabia que as personagens, todas mulheres modernas, seriam batizadas em homenagem às irmãs da mitologia antiga, mas a grafia e a pronúncia poderiam soar estranhas para um público moderno.

 

Sabia também que desejava incluir alguns outros personagens dos mitos. Nessa noite, portanto, montei um quadro com todos os principais personagens e um resumo de seus principais atributos. Distribuí papel e caneta pela mesa, e pedi a todo mundo para inventar anagramas e apelidos que pudessem ser usados para os personagens do livro.

Pa Salt – Minha filha caçula, Leonora, deu início aos trabalhos com o inspirado apelido de Pa Salt, pai adotivo das minhas irmãs, livremente inspirado em Atlas, o titã da mitologia grega que sustentava o céu nos ombros . O anagrama usa o P de Pleione, a mãe das irmãs, e o restante são as letras de Atlas. Gosto particularmente desse nome, pois a parte do salt, sal, evoca o amor do personagem pelo mar.

 

Maia – A heroína moderna do primeiro livro foi fácil, pois seu nome é lindo e ainda usado na nossa época, de modo que ela não precisou de apelido.

 

Alcíone – Ally nos pareceu um diminutivo bem natural para minha segunda irmã.

 

Astérope – O nome significa “Estrela”, o que rendeu um lindo apelido para a personagem.

 

Celeno – Depois de brincar com vários anagramas que não davam muito certo, alguém sugeriu um apelido simples, Ce-Ce, que conquistou na hora a aprovação dos outros.

 

Taígeta – Como no mito essa irmã foi transformada em gazela por Artemis, e no meu livro teria um amor desmedido pelos animais, achamos que Taígeta deveria ter um apelido animal e acabamos optando por Tiggy, em homenagem à Mrs. Tiggy-Winkle, o ouriço do livro de Beatrix Potter.

 

 

 

Electra – Eu sabia que essa personagem seria arrebatada e cheia de energia, então o nome estava perfeito assim.

 

D’Aplièse – Eu queria muito incluir as Plêiades em algum lugar, então inventamos o anagrama D’Aplièse para ser o sobrenome das irmãs.

 

Kreeg Eszu – Eu sabia que o personagem de Zeus apareceria algumas vezes na série. Três mitos sugerem que ele teve filhos com três das irmãs. Zeus também foi responsável por transformá-las em pombas e colocá-las no céu como estrelas, a fim de ajudá-las a fugir das investidas amorosas do caçador Órion.

 

anagrams

Zeus também foi o deus que mandou Atlas segurar o céu nos ombros. Para atender às necessidades da minha trama, dividi o personagem em dois: o magnata bilionário Kreeg Eszu e seu filho, Zed Eszu; Kreeg é um anagrama de greek, grego, e o sobrenome Eszu é um anagrama de Zeus. Maia se envolve com o mal-afamado Zed Eszu quando está na universidade.

 

Locais e objetos

 

Atlantis – A mitológica cidade submarina perdida era famosa por sua beleza e foi o único nome que cogitei para o santuário que seria a casa de Pa Salt e das irmãs, às margens do Lago de Genebra.

 

Titã, o iate de Pa Salt – Atlas pertencia à raça mitológica de sete divindades conhecidas como titãs.

 

Olimpo, o iate de Kreeg Eszu – O nome da embarcação vem do Monte Olimpo, na Grécia, lar mitológico dos principais deuses gregos. Zeus era o chefe dos deuses e governava o local. O deus grego do mar, Poseidon, é outro que se diz ter tido filhos com uma ou mais das Sete Irmãs. Infelizmente, existe uma associação antiga com certo filme-catástrofe no qual há um navio com o mesmo nome! Decidi, portanto, que não poderia incluir esse nome na história e usei em seu lugar o deus equivalente romano, Netuno.

 

O Pavilhão – Nos mitos das Sete Irmãs, Maia é muitas vezes descrita como uma mulher isolada, que vive sozinha em uma caverna. Assim, criei o Pavilhão, uma casinha no terreno de Atlantis onde Maia pode se dedicar à solitária carreira de tradutora antes de ser puxada para o mundo lá fora pelas pistas que Pa Salt lhe deixa.

 

Pombas – Nos livros, há várias referências às irmãs chegando e saindo de Atlantis como bandos de pombas que saem do ninho e voltam. Além de proporcionar uma ótima metáfora, isso também alude aos mitos das Sete Irmãs em que as moças eram transformadas em pombas por Zeus antes de serem postas no céu por toda a eternidade.

 

 

 

 

Início